domingo, 15 de junho de 2014

#95 | Deixe a Inglaterra Tremer - Sávio Lopes

Olá meus queridos leitores, como estão?
Então, já faz um tempinho que eu não venho aqui para postar algo – por culpa da escola, e já que eu estava com um tempinho livre resolvi apresentar a vocês minha opinião sobre o livro “Deixe a Inglaterra tremer”, do simpaticíssimo Sávio Lopes. Mas antes de começar, quero pedir minhas sinceras desculpas para o autor, pois ele me enviou o livro no final de março e eu não tive tempo para escrever. Saiba que isso não irá acontecer novamente. Espero que me desculpe!

Sinopse:


Embalado pelo ritmo frenético das letras das canções de rock alternativo que antecipam cada passagem do livro, “Deixe a Inglaterra Tremer” é o retrato de como Londres se tornou um polo multicultural nos últimos anos. Nosso narrador constrói e desconstrói diversos estereótipos culturais ao longo dos quatro meses em que esteve lá. Demonstra o processo de adaptação do jovem amargo que era quando chegou à cidade, nos levando à experiência do amadurecimento pessoal que somente a vida numa cidade repleta de possibilidades pode proporcionar. O contato com estrangeiros de todas as partes do mundo, o intercâmbio cultural – nem sempre amigável e bem-sucedido –, as amizades nascidas do sentimento em comum de se estar “sozinho no meio da multidão”, as reflexões acerca da própria vida diante de realidades tão diferentes à primeira vista. Tudo isso transforma o livro numa explosão quase tão multifacetada quanto a própria vida na antiga Londres do novo século.


Resenha:


Deixe a Inglaterra tremer, é aparentemente, nada mais que um simples livro que conta a história de um jovem brasileiro, estudante de jornalismo, indo para a Terra da Rainha. Mas acredite se quiser, ele consegue ser bem mais que isso!

Como já disse, o livro contará a história desse simples brasileiro ( cujo o nome não é revelado) que está indo fazer intercâmbio na Inglaterra. Começamos a acompanhar sua jornada a partir do aeroporto, onde ele começa a nos revelar alguns detalhes sobre sua vida, e só para no final do livro. Sabemos que o narrador já teve experiências com outros países, mas ele sabe que cada país têm suas essências, e há algo de inovador em todos os lugares.

A chegada à Inglaterra foi normal. A maneira com que é apresentada os ingleses é muito diferente do que geralmente achamos, pois – pelo menos eu – achava que eles eram muito receptivos com pessoas de outros países, mas é bem diferente. Os ingleses são muito patriotas, não conseguem gostar das outras culturas; para eles, o único lugar que presta é a Inglaterra, e os outros países deveriam agradecer pela existência do lugar! O narrador, é muito inteligente, e nos consegue passar com clareza como é a verdadeira Terra da rainha. Nos mostra que não vale a pena você sair de um lugar tão receptivo como o Brasil, para ser maltratado  em outro lugar.

Mesmo com esses probleminhas, a viagem é muito interessante e o narrador consegue aproveitar bem esses 4 meses no país. Ele faz algumas amizades, que nos mostra um pouco de como são os ingleses. Os lugares citados no livro aparentam ser muito bons. E as músicas que têm no início dos capítulos só deixou ainda mais interessante as experiências que o narrador teve, ou melhor, que nós tivemos.

O livro é muito bom. Conseguiu me prender do início ao fim, fazendo com que eu só fosse dormir depois de finalizá-lo. A história do narrador é bastante interessante, e o fato dele ser brasileiro só me fez gostar ainda mais dele, e também porque eu o achei bastante parecido comigo. Eu criei um afeto tão grande pelo narrador, que eu acreditava em tudo que ele falava sem ao menos questionar. Confesso que daria de tudo para ler uma nova aventura do narrador em outro país, porque ele conseguiu me mostrar um lugar real que eu não conhecia dentro de uma simples história, fazendo eu gostar muito do livro. E vale lembrar que em vários momentos eu me sentia o narrador.

Depois de ler umas resenhas sobre o livro, tive a conclusão que o fato de eu ter gostado mais do livro que outras pessoas é que eu gosto de ler biografias. É mais que claro que o livro não é inteiramente narrado como uma biografia, mas é perceptível que o autor viveu algo muito parecido para narrar a história tão bem. E é bom lembrar que algumas pessoas reclamam que o livro é muito parecido com uma biografia, mas mesmo assim, ainda super indico o livro!

Sobre a edição do livro eu não tenho muito o que falar. Está bem simples, porém bonita. Contém orelhas; as páginas são amareladas; a diagramação também está muito boa... A única coisa que eu tenho para reclamar é que algumas páginas do meu livro estão meio tronchas, e há alguns erros ortográficos, mas fora isso a edição está muito bonita. Com isso, eu só tenho a parabenizar o autor Sávio Lopes por escrever um livro tão bom, e dizer que espero ler outros livros com a mesma abordagem. E parabéns para a Novo Século que deixou a edição linda!

Nota:



Bom, espero que tenham gostado do livro!

Att,

Lazaro.

Um comentário:

  1. Achei super interessante está história. É a primeira resenha que vejo do livro, pois também nem conhecia o livro.
    Sua resenha ficou muito boa. Fiquei com vontade de ler e gostei da capa também.
    Os erros ortográficos as vezes nem atrapalham a leitura.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir