quarta-feira, 16 de abril de 2014

#88 | Anjo Mecânico - Cassandra Clare

Oi pessoal, tudo bom?
Então, faz um bom tempo que eu não escrevo a resenha de um livro para vocês, e para recompensar resolvi escrever sobre a minha mais recente leitura, que por sinal, conseguiu me surpreender bastante.


Sinopse:


Anjo mecânico apresenta o mundo que deu origem à série Os Instrumentos Mortais, sucesso de Cassandra Claire. Nesse primeiro volume, que se passa na Londres vitoriana, a protagonista Tessa Gray conhece o mundo dos Caçadores de Sombras quando precisa se mudar de Nova York para a Inglaterra depois da morte da tia. Quando chega para encontrar o irmão Nathaniel, seu único parente vivo, ela descobrirá que é dona de um poder que capaz de despertar uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das forças do submundo. 






Resenha:

Theresa Gray - vulgo Tessa -, é uma jovem americana que por causa do destino infelizmente ficou órfã, a única pessoa que sobrava da sua família era o seu irmão ( Nathaniel), que estava morando em Londres , com tudo, a Tessa teve de ir para Londres para poder pelo menos ter a companhia de alguém da sua família.

Chegando em Londres, duas mulheres a abordaram ( as irmãs Black e Dark), e elas falam para a Tessa que o irmão dela quer que ela vá com elas. Com provas, Tessa aceita ir com elas. Na ida até o suposto lugar que o irmão estava, ela é sequestrada pelas irmãs. Logo depois que a é sequestrada ela fica sabendo que tem poderes muito fortes e, termina tomando um choque com tudo isso. Sem sua família, seu irmão sequestrado, e ela "presa" junto às irmãs a única coisa que a Tessa tem que fazer é ficar calma e tentar acalmar tudo aos poucos. 

Enquanto todas essas notícias são jogadas para nós, somos apresentados a vários personagens mas os que mais se destacam são Will e o Jem. Os dois são amigos, mas com personalidades muito distintas, e junto com a Tessa eles vão formar um triângulo amoroso, e aí cabe ao leitor optar qual dos dois é melhor para ficar com a Tessa.

Mesmo com esse triângulo amoroso a história não se foge "totalmente", ainda estão procurando uma maneira de salvar o irmão da Tessa. Com esse "TOTALMENTE" usado um pouco antes eu quero dizer que deu a entender que, depois que os garotos aparecem 80% da história se perde fazendo com que ficasse de lado o verdadeiro propósito do livro, que é salvar o irmão da Tessa. O livro também se passa praticamente no mesmo mundo que os Instrumentos Mortais, e quem já leu os Instrumentos Mortais antes de ler as Peças Infernais, com certeza vai se sentir superior aos personagens em algumas ocasiões, porque há questões levantadas no livro que você já viu nos Instrumentos Mortais, e isso ajuda muito na leitura. Mas é claro, não é preciso ler os Instrumentos Mortais antes de ler as Peças Infernais, só estou dizendo que é uma vantagem. Mesmo passando no mesmo mundo, parece que são totalmente diferentes porque neste livro tudo é mais bem explicado, principalmente o próprio cenário. 

Durante e após a leitura percebi várias coisas, mas a que mais me influenciou na hora de dar uma nota ao livro é que a Cassandra Clare após colocar um triângulo amoroso se perde na história, isso aconteceu nos Instrumentos Mortais aconteceu e nesse primeiro volume das Peças Infernais, e o que me dá mais raiva é que quando o livro está ficando bom a autora consegue estragar a história!

Após ler esse livro percebi o quão evoluída a escrita Cassandra ficou. Não posso falar que melhorou 100%, mas dos Instrumentos Mortais para Peças Infernais a escrita melhorou uns 40%. Bom, já é um avanço!

Os personagens das Peça Infernais foram tão bem criados, que faz o leitor se apegar a eles. Nossa, a Tessa até agora é a minha personagem favorita da saga, ela é super real, sabe? Adorei o jeito dela ser desde que a autora apresenta ela no livro, ou melhor, deixa ela se apresentar. O Will e o Jem também não ficam de fora. Foram criados de uma maneira tão delicada que faz o leitor ficar sem palavras quanto a eles!

Eu gostei tanto do livro em si que li ele todo em apenas uma tarde. O livro me prendeu de um jeito tão bom que quando acabei a única coisa que veio na minha mente foi: PRECISO PEGAR O PRÍNCIPE MECÂNICO COM A MINHA AMIGA! Isso mesmo, eu fiquei com tanto medo de não gostar dessa série que eu terminei pedindo emprestado mesmo e como ela disse que os livros são ótimos resolvi lê-los, e garanto que não me arrependi!

Edição está bem bonita. O livro tem orelhas, a capa tem brilhos, o papel é amarelado e, a diagramação também está ótima. Só tem elogios à Galera Record.


Nota:


Bom, espero que tenham gostado. Se já leram comentem sobre o livro, questione algo... Assim que eu puder responderei os comentários.

Att, 
Lazaro.

6 comentários:

  1. Oi Lazaro!

    Apesar de você ter curtido o livro, mesmo assim não concordamos em alguns aspectos rs.

    Eu não acho que a Cassie tenha se perdido no meio da história, o romance é de fato muito presente na história e é sim o foco principal. E até hoje, é o melhor triangulo amoroso que eu já li em algum livro.

    Como você mesmo comentou, a escrita da autora melhorou e muito nessa série, e eu espero que esse progresso continue. E sim os personagens são ótimos, é impossível não se apegar a eles.

    Gabriel - http://umpapoentrepaginas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabriel.
      Primeiramente, seu novo layout está muito bonito. Parabéns pelo trabalho e criatividade!

      Então, o que me decepcionou a respeito do foco principal é que deu a entender no começo do livro, que seria "como ela ajudar o irmão dela e tals", e depois o foco do livro ficou praticamente todo no triangulo amoroso, e isso me deixou super confuso, ainda acreditando que o foco estava no irmão da Tessa.

      Não posso negar, o triângulo anoroso foi super bem criado, não foi o melhor que já vi, mas está acima da média. Nem acreditei que foi a Cassandra que os criou!

      O livro é ótimo, pretendo ler o resto da trillogia em breve, e também relerei todos os livros dos intrumentos mortais! :)

      Um abraço.

      Excluir
  2. Sou louca para ler os livros da Cassandra, apesar de nem ter começado a fazer isso ainda. Mas vou dar um jeito de ler todos os dessa série e os já lançados de Instrumentos Mortais antes da Bienal. Que bom que o livro te surpreendeu, fiquei chocada que você leu em apenas uma tarde, mas isso me deixou mais animada para cumprir minha meta! hehe... A capa do meu exemplar também tem brilho, e assim ela fica muito mais bonita. Pena que assim que a primeira edição se esgotou a editora passou a vender os exemplares sem esse efeito holográfico.

    A única coisa que me deixou um pouco desanimada foi saber que existe um triângulo amoroso... mas fazer o que, né, os autores inexplicavelmente adoram isso.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju.
      Que bom que você tem interesse em conhecer um pouco mais o trabalho da autora, espero que goste!

      Confesso que em 2012 quando li os intrumentos mortais não gostei muito, mas estou decidido que este ano relerei os livros pqrq ver se agora gosto mais. Não sei quanto a TMI mas de As peças infernais tenho certeza que você irá gostar!

      Bom, esse fato do triângulo amoroso sempre estar presentes em sagas juvenis é claro o porquê. Tudo gira entorno do dinheiro, e quantp mais livros os autores venderem, mais "ricos" eles ficarão!

      Um abraço. ;)

      Excluir
  3. Oi. Já tinha visto o livro em livrarias...bom passar aqui e conhecê-lo mais a fundo. É, triângulo amoroso para não "se perder"..ou coisa do tipo, precisa estar bem construído, pena que acabou por fugir um pouco...Ah, adoro ir percebendo essa evolução na escrita de determinados autores.
    Beijinhos no coração e um maravilhoso feriado para você.
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marli.
      O livro é bem legal, espero que você leia-o algum dia.

      Também adoro ver a evolução dos autores, mostrando a nós leitores que eles podem se superar e nos surpreender.

      Um abraço. ;)

      Excluir